Soberanobook a rede social exclusivo do SPFC

AvatarEntity

www.makeanet.com/soberanobook/entrar

Depreciação de bens ou protesto arquitetado?

Salve nação São-paulina

Depois de uma tragédia anunciada contra o sep, o SPFC conseguiu uma vitória a base de pura vontade e do iluminado Rogério Ceni que abriu o placar no segundo tempo com mais uma obra prima de falta somando 126 gols na carreira, sendo o 61° de falta, acho que foi um cala boca a certa turma no amendoim que vê jogos do SPFC e falaram um monte sobre a falha do arqueiro contra o sep, mas como esse pessoal não sabe o que é futebol, pois muitos só acompanham desde 2005 com o tri mundial não viu o que é passar por vacas magras.

Todo mundo que vê o futebol sem colocar a paixão em campo, viu que quando o zagueiro recuou a bola para o M1TO a bola quicou e ele acabou pegando de tornozelo e mesmo assim a bola estava na direção do Michel Bastos que não foi para bola e sim esperou a redonda chegar, o garoto Robinho pegou antes e teve tempo de olhar para o gol, pois o volante Hudson apenas olho o garoto e não tentou aplicar um carrinho para tentar atrapalhar o garoto que acertou um chute que nunca mais acertará um chute desses no gol.

Acho que ficou claro a todos, pois antes de falar algo do M1TO ele tem quase 25 anos de SPFC e vestiu mais vezes a camisa do que quaisquer torcedores do SPFC de 2005 se forem para criticar o único jogador que quer vencer nem vai ao estádio ou assistem, pois o SPFC precisa dos seus torcedores verdadeiros e não de torcedores que só reclamam de tudo.

O time está ruim, mas não é de hoje e sim desde que o Juvenal Juvêncio deixou o soberano sair das arquibancadas para dentro do ambiente do futebol, aonde os diretores se acham o rei da cocada preta e parou no tempo com filosofias errôneas que só acabaram com um ambiente de vencedor e hoje colhemos os frutos que não foram plantados. A mudança do estatuto do clube só serviu para destruir o que o SPFC era diferente dos demais com uma oposição forte que fazia muito bem ao clube.

Qualquer clube que quer ser campeão tem que ter planejamento de seus profissionais e ter uma bela equipe para extrair o Maximo de potencial de seus atletas, como se fazia com Turíbio, Carlinhos Neves e Rosan, Marco Aurélio e o Dr. Marcelo Portugal Gouvêa, com maestria e sabiam contratar jogadores com o perfil do SPFC, ou seja, para ser campeão de tudo. Já o JJ estragou tudo e o Aidar com o mesmo continuísmo afundou o clube, onde passamos vergonhas com salários atrasados e a divida do clube junto aos bancos já chega em 400 milhões de reais!

Aquele bando que se intitulam “torcidas organizadas” fizeram um protesto inteligente mais depreciando os bens do SPFC que são os jogadores, pois a imagem vai rodar ao mundo e os times estrangeiros vão pensar duas vezes antes de contratar os jogadores. O protesto tinha que ter visado; Diretoria, Presidente e os empresários que estão instalados lá desde 2009 com jogadores péssimos. Mas como tem o rabo presos com a presidência do SPFC não reclamam de quem está destruindo o clube.

Só um exemplo como o clube está parado, o Michel Jordan parou há muito tempo e até hoje seus produtos são vendidos em lojas ou na internet para o mundo a camisa 23 e vários itens do Jordan no Chicago Bulls lidera a venda do time, já a diretoria soberana tem o mesmo diamante nas mãos e até hoje nenhuma ação de marketing com o Rogério Ceni foi feito, acho que deu para perceber o quanto estamos defasados.

Finalizando uma diretoria que entrou para história tirando os torcedores do Morumbi para fazerem arrecadações milionárias, pois a mesma não tem capacidade de fechar um patrocínio máster ao clube e pagar em dia os jogadores!

Até semana que vem!

SPFC: Montéquios e Capuletos

montequios e capuletos

Por Ricardo Flaitt (Alemão) |

Futebol é, sobretudo, um jogo político, bem diferente do esporte praticado durantes os 90 minutos de uma partida. Em política, os esquemas táticos são bem mais complexos e ardilosos.

No São Paulo, desde que Aidar rompeu – acertadamente – com Juvenal Juvêncio, que prestou bons serviços ao Tricolor, mas não queria desgarrar do poder, o ambiente político do clube vem se deteriorando.

A batalha tricolor entre os membros do conselheiro, como se em armaduras de Montéquios e Capuletos, está propagando uma onda negativa, que atinge em primeiro plano a gestão de Aidar e, consequentemente, o Departamento de Futebol, que é praticamente a síntese de um clube.

Essa realidade não é mera desculpa para eximir Muricy na montagem de um time, mas também é necessário reconhecer que é muito difícil tentar realizar algo com tanta gente torcendo e jogando contra. Só quem convive em ambientes políticos sabe o que é a influência da intriga e da falsidade.

Diante desse cenário fratricida, uma hipótese deve ser considerada: – “A contratação de um novo técnico acabaria com a instabilidade vinda dos bastidores do São Paulo?”. Sinceramente, penso que não. Essa medida apenas prorrogaria o tempo para um novo embate.

Ao contrário do que muitos disseminam, ainda projeto Aidar como um dos grandes presidentes do São Paulo, pois tem uma visão moderna de futebol, de modo que compreende a estrutura do clube e insere-o ao contexto nacional.

Dentre seus méritos, cito um importante: o contrato com a Under Armour representa uma grande vitória de Aidar, uma vez que pelo acordo conseguiu ampliar a receita do clube, é um reforço no sentido de internacionalizar a marca São Paulo e também vai proporcionar uma modernizada – e alavancada nas vendas – nos uniformes, tão previsíveis e comuns nos últimos anos.

Foi um grande feito a chegada da Under Armou, porém, pouco capitalizada para a imagem da gestão, que se deixou engolir na mídia por acusações nem sempre fundamentadas ou espalhadas pela oposição, que mina silenciosamente Aidar.

O que pesa sobre Aidar é ainda não ter conseguido fechar um patrocínio máster para o São Paulo e o preço dos ingressos. Esses pontos, no jogo político, deixou o presidente vulnerável às críticas. Mas é leviano jogar a administração de Aidar. Esse é o discurso de pessoas que ficaram de fora do atual elenco político e de uma minoria, alienada massa de manobra, que não representa uma nação que caminha para 20 milhões de torcedores.

FORÇA DE COALIZÃO | O maior problema do São Paulo está nos bastidores. No entanto, a instabilidade política, por mais que se tentou blindar, chegou aos jogadores. Há muita gente fazendo gol contra a atual gestão.

Como medida para descentralizar as ações e como passo para reversão do jogo político, fosse Aidar, manteria Ataíde Gil Guerreiro no cargo, mas reforçaria o seu time trazendo Marco Aurélio Cunha para formar uma dupla com Ataíde, ampliando seu poder de atuação, por meio de homens perfeitamente capazes de interceder nos bastidores e, ao mesmo tempo, trabalharem como homens de ligação entre o mundo do vestiário e o mundo da diretoria.

Nessa disputa entre Montéquios e Capuletos que se tornou o reino do Morumbi, a única coisa que Aidar não pode permitir é que morramos abraçados (torcedores, diretores, comissão técnica…) pela intriga calculada.

***RICARDO FLAITT (Alemão) é um cronista-torcedor apaixonado pelo São Paulo. Fã de Garrincha, João Saldanha, Careca, José Trajano, Tostão e Nelson Rodrigues. E-mail:ricardoflaitt@hotmail.com

Pato é nosso e de graça, basta a diretoria querer

Olá caros amigos leitores Soberanos, Alexandre Pato vem se destacando no Tricolor Mais Amado, fruto da confiança que lhe fora depositada pela diretoria Soberana.

O sucesso do jogador é patente, é um dos melhores jogadores do Mais Querido, figura entre os artilheiros dos campeonatos que disputa e é objeto de várias assertivas na semana que antecede os Majestosos.

Fato é que, sempre nessas datas, surgem especulações e questionamentos sobre se Pato deve ou não entrar em campo. Se entra, deve-se pagar multa milionária ao Small Club, se não entra, nada ocorre, mas o Tricolor perde uma de suas referências.

Ocorre que, ao meu ponto de vista e com pálio no Direito Obreiro Brasileiro, Alexandre Pato poderia se desvincular do eterno clube da Marginal sem número. Explico.

Sabe-se que verbas trabalhistas, estão intimamente ligadas à sobrevivência do ser humano, sendo assim, seu pagamento e prioridade para qualquer empregador, sob pena de termos a denominada justa causa indireta.

Assim, o fato de que o Clube da Marginal sem número não estar cumprindo o estabelecido no contrato com o jogador, no qual há previsão de pagamento de R$ 400 mil a título de direito de imagem, justifica a rescisão contratual.

Sendo assim, Pato poderia ver-se livre, leve e solto para, enfim, assinar definitivamente com o SPFC.

São Paulo leva de 3 e foi pouco!

Torcedor tricolor,foi mais uma noite de vergonha,uma noite pra se esquecer,uma noite de mais um clássico perdido e o São Paulo levou um baile,um atropelo,ontem no Allianz Parque,o São Paulo perdeu de 3×0 e em uma noite que teve a colaboração da expulsão infantil de Rafael Tolói,a falha grotesca de Rogério Ceni,tudo colaborou para o desastre ontem a noite e este mesmo placar já era pra ter sido assim contra o Santos,por exemplo,o Palmeiras sem dúvida tirou o pé após a expulsão de Michel Bastos tivesse forçado um pouco mais era pra ter feito uns 5,6.

A grande realidade é que o time do São Paulo mascara um bom futebol,se tem bons jogadores,não consegue ter um bom conjunto em campo e isto passa por Muricy,não sei o que se passa com o treinador São Paulino mas ele definitivamente não está conseguindo dar liga a este time por mais que seja fã,certos jogadores esquecerem seu futebol em 2014,tais como Ganso,é revoltante o nada que o camisa 10 joga,só reclama e ainda não sai do time como no caso de ontem,onde o sacrificado foi Alexandre Pato que aliás podia dar um jeito no time,o desastre começou a ficar iminente graças a manjadissima jogada que a zaga recua pro Rogério e ele dá um bicão pra área,o bico foi torto e chegou nos pés de Robinho que fez um golaço e abriu o placar.

O Palmeiras não continuava tirando o pé e quem fez o torcedor tricolor sofrer do coração foi Carlinhos,a avenida foi uma festa pro Dudu,o ponta palmeirense cansou de criar jogadas,para completar numa falha tremenda do árbitro Vinicius Forlán,trocou sopapos e provocou Rafael Tolói, só o limitado zagueiro foi expulso e afundou o time,a partir daí foi jogo de um time só e o Palmeiras ainda aos 23 minutos da primeira etapa,chegou a 2×0 graças a Rafael Marques,a porcaria de exibição São Paulina continuava onde um time dá apenas um chute a gol é pra se envergonhar e se perguntar,ai o dedo de Muricy entrou e substituiu Alexandre Pato por Edson Silva,o limitado zagueiro não teve uma exibição totalmente medíocre porém pra quem queria ganhar não era o melhor negócio definitivamente ter tirado Pato.

Como disse há duas semanas atrás e não gosto de ser redundante,está tudo errado no São Paulo,time,técnico,dirigentes e não foi uma vitória contra o San Lorenzo que vai consertar isso,as limitações do time são evidentes e ficaram claras na noite de ontem,o São Paulo pode até passar de fase mas definitivamente corre o risco de ficar pra trás na Libertadores novamente neste ano,muita coisa precisa ser ajustada no time,Ganso ficar de fora,Muricy ter a capacidade de ousar na escalação,dirigentes contratarem zagueiros e líderes em campo de verdade coisa que o time não tem,um lance pra resumir bem a ruindade do time foi no segundo tempo,onde o fraquíssimo lateral direito Bruno,recebeu um passe de Alan Kardec logo no começo do segundo tempo e deu um furo na bola,mais grotesco e bisonho impossível.

Para completar a trágica noite São Paulina,Rafael Marques fez 3×0 e Michel Bastos foi expulso também de forma infantil,o São Paulo é um time desequilibrado em campo que não passa infelizmente confiança alguma ao seu torcedor e isto ficou claro na noite de ontem,inclusive com os desentendimentos entre Michel,Ganso e Muricy,há algo de muito errado mesmo dentro do grupo e muita coisa vai de ter ser arrumada,o São Paulo começar do zero o ano,pq desde que Kaká saiu definitivamente o São Paulo não se arrumou,o que vimos ontem a noite foi mais uma exibição ridícula num clássico, porque perder um jogo de futebol é perfeitamente normal agora perder de forma bisonha,assistindo o adversário jogar é absurdo e ridículo,basta o São Paulo jogar contra um adversário bem arrumado taticamente e perde,nenhum torcedor pode ir no estádio ver um futebol medíocre assim pagando mais de R$ 120,00 num ingresso e não há vitória contra o limitado Linense que possa disfarçar isso.

e agora a nota dos jogadores da partida

Rogério Ceni esta jogada é muito manjada,será que o time não sabe sair com a bola no pé  Nota Zero

Bruno Não dá pra ser lateral do São Paulo,exibição ridícula e falha bisonha no segundo tempo Nota 3,0

Lucão Não comprometeu,fez o básico em campo. Nota: 5,0

Tolói Mesmo sendo agredido foi injustificável sua expulsão,afundou o time Nota Zero

Carlinhos Uma autêntica avenida,Dudu e Cristaldo fizeram a festa pelo seu lado. Nota: 2,0

Denílson Limitado a marcação como de costume. Nota: 4,0

Hudson Melhor em campo. Nota: 6,0

Ganso Só reclama em campo,tem que esquentar um banco correndo,acomodado,frouxo e sem brio Nota 1,0

Michel Bastos tentou mostrar vontade mas foi bem expulso. Nota Zero

Alexandre Pato Não deveria ter saído do time Sem Nota.

Alan Kardec Não produziu nada em campo Nota: 2,0

Edson Silva Tentou jogar e fazer o básico,deu alguma estabilidade a zaga. Nota: 5,5

Centurión Tentou fazer alguma correria mas não acrescentou nada . Nota: 5,0

Boschilia Sem tempo pra ser avaliado Sem Nota

Muricy ontem demonstrou uma passividade irritante em campo e foi engolido taticamente por Oswaldo de Oliveira Nota 2,0

fernando_rodape

Prestem atenção no Hudson!

hudson2

Por Ricardo Flaitt, Alemão |

Com a convocação de Souza para a Seleção Brasileira, Hudson terá uma nova oportunidade de atuar no meio-campo ao lado de Denílson, no clássico de hoje, entre São Paulo e Palmeiras pela 12ª rodada do Campeonato Paulista.

O volante, que chegou ao São Paulo depois de uma boa temporada no Botafogo de Ribeirão Preto, ainda que tenha atuado bastante pelo Tricolor, nem sempre jogara em seu setor de origem. Com o problema crônico da lateral-direita – que parece ainda não ter sido resolvido – muitas vezes jogou improvisado e, vale ressaltar, foi muito bem.

De fato, a primeira vez que Hudson despertou minha a atenção aconteceu em uma partida pelo Brasileirão 2014, mais precisamente no dia 20 de agosto, quando o São Paulo foi ao Rio Grande do Sul enfrentar o Internacional e conquistou uma importantíssima vitória por 1 a 0, com Hudson jogando um absurdo. E como jogou.

Naquela partida tensa e disputada, Hudson suportou a pressão da chance que lhe surgiu, impôs-se, marcou com força, precisão e exerceu função importante para interligar os setores, uma vez que possui ótimo passe.

Eis que surge uma nova oportunidade. E fiquemos de olho em Hudson, que é um jogador bom de bola, versátil, tem bom passe, chega bem ao ataque e uma característica fundamental: raça.

***RICARDO FLAITT (Alemão) é um cronista-torcedor apaixonado pelo São Paulo. Fã de Garrincha, João Saldanha, Careca, José Trajano, Tostão e Nelson Rodrigues.